Karate estréia nas Olimpíadas de Tóquio!

Depois de muitas adaptações e um esforço imenso da WKF, o Karate finalmente estréia nas Olimpíadas. Desde que comecei a treinar, no final da década de 80, ouço o desejo de muitos de ter nossa arte no maior evento esportivo do mundo. E estrear justamente no Japão, é sonho virando realidade!

Karate estréia nas Olimpíadas

Mas para chegar lá, muita coisa foi trabalhada. Eu não tive nada a ver com isso! E muitos karatekas também não, pois esse mérito é todo da WKF e no caso do Brasil, da CBK, Confederação Brasileira de Karate. Foram eles que moldaram uma forma de karate que agradaria ao COI. Um sistema de pontos que, para quem é mais clássico como nós da AKIRS, é meio conflitante (como assim Ippon não vence a luta?).

E que karate é esse?

Aliás, esta mudança na forma de fazer o Karate sempre foi ponto de discórdia. Nossa arte é dividida em diversas organizações, escolas, estilos, etc. Com esta separação, muitos pontos de vistas, interesses econômicos, egos e objetivos mais atrapalham do que ajudam a arte como esporte. Então discussões como “karate pula-pula, esse kata é todo errado, não tem mais budo…” sempre vem à tona quando o assunto é o karate olímpico.

Vou ser sincero: eu também criticava assim. E ainda olho com desconfiança, não serei desonesto! Fui criado no Karate-do Tradicional, de Nishyiama sensei. Outra organização, com outra forma de pensar. Hoje, que sou SKIF, mantenho muito da forma clássica do Karate-do.

No entanto, eu aprendi com os anos e principalmente, após iniciar meu próprio dojo, que existe espaço para todos e que estes atletas treinam muito. Quer fazer um karate mais esportivo? Tá aí o karate “olímpico”! Quer partir para algo mais conciso, mais “porradeiro”? tem Kyokushin, Kudo, etc. Quer um karate-do clássico, que treine mente/corpo/luta? Vem pra AKIRS… 😀

O que importa é que nossa arte está tendo visibilidade, o que vai ser bom para todos. O Karate estréia nas Olimpíadas em um momento onde todos estão conectados. Onde com o Google, você encontra uma academia onde estiver.

Então aproveite. Torça pelos atletas. Veja os prós e contras e absorva o que for bom para o seu Karate-do. E faça isto agora, pois ele ainda é esporte de demonstração. Não está garantido nas Olímpiadas seguintes. Aliás até o momento, ele está fora da França. Muito ainda terá que ser trabalhado para convencer o COI que vale a pena manter as “mãos vazias” no programa olímpico.

Quem sabe mais pessoas se interessem pela nossa querida arte e tenhamos mais e mais karatekas, em qualquer lugar do mundo!

Oss!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *